Análise Fundamentalista

A análise fundamentalista baseia-se na avaliação da situação econômica, financeira e de mercado de uma determinada empresa ou setor.

Através dessas análises, o investidor faz a avaliação da empresa a partir do potencial de geração de lucro e os dados passados.

Com todos esses dados em mãos o analista dá a ação o preço que ele acha justo para hoje e pro futuro.A expectativa de geração de lucros é baseada, principalmente, no fluxo de caixa dos períodos analisados.

Warren Buffett é o multibilionário que aplica a estratégia de buy-and-hold, que consiste em comprar ações e segurar o máximo de tempo possível.

O megabilionário Warren Buffett

Ele e tantos outros investidores de médio a longo prazo utilizam a análise fundamentalista para tomar suas decisões de investimento.

Então, o investidor fica de olho no preço da ação de uma boa empresa e, quando o preço estiver atraente (levando em consideração o potencial no futuro), o investidor compra e segura pelo tempo que for necessário.

Valuation

Valuation é o termo em inglês para “Avaliação de Empresas”.

O analista estima, com base em vários aspectos da empresa, quanto a mesma vale, determinando seu valor intrínseco (preço justo) e o possível retorno de um investimento.

Existem algumas formas de avaliação:

  • Avaliação do valor dos ativos da empresa.
  • Trazer a expectativa do caixa da empresa futuro a valor presente.
  • Análise dos múltiplos da empresa.

Com base na avaliação do valor da empresa, analistas fazem recomendações de compra ou venda, comparando o preço atual das ações das empresas listadas em bolsa com seu potencial encontrado nas análises.

Teoria das Carteiras

Harry Max Markowitz, nascido nos Estados Unidos, ganhou, em 1990, o prêmio Nobel em ciências econômicas ao apresentar a sua Teoria das Carteiras (ou dos Portfólios).

Harry Max Markowitz.

Seu modelo permite que o risco de uma carteira de investimentos seja calculada não importando os ativos que a compõe (ações, opções, etc).

Investidores e fundos de investimento montam seus portfólios de acordo com esta teoria.

Através deste modelo, foi possibilitada a diversificação de produtos de investimentos utilizando a relação de risco-retorno para diferentes perfis de investidores, classificados como investidores com maior ou menor apetite ao risco.

Um gestor de fundos que possua uma carteira de investimentos composta de vários ativos, como ações e títulos de renda fixa (públicos ou privados), calcula o retorno desse conjunto de ativos com base no retorno que cada ativo possui separadamente, ou seja, de acordo com o percentual em que os investimentos foram alocados.

Já o risco do portfólio pode ser definido a partir da variação dos retornos dos ativos, ou seja, quanto os valores dos retornos se distanciam do valor esperado (volatilidade).

Então, quanto maior a variação dos retornos, maior o seu risco (volatilidade), bem como quanto menor a variação, menor o risco.

Fronteira Eficiente de Markowitz

A linha em destaque é a ‘Fronteira Eficiente’, que mostra aos investidores sempre a melhor relação possível entre retorno esperado e risco assumido, indicando qual o ponto ótimo de alocação de ativos da carteira em relação ao risco a ser tomado.

Diversificação

Para a melhor relação de risco e retorno, segundo a teoria, o investidor deve diversificar o risco de seus investimentos escolhendo setores diferentes da economia.

O tal negócio de “não colocar todos os ovos em uma única cesta” era oficial depois de 1990.Quanto mais ativos na carteira, mais diversificado o risco, como mostra a imagem abaixo.

Diluição do risco de uma carteira composta de vários ativos.

Os Riscos

Você observou que no gráfico acima há dois riscos:

  1. Diversificável.
  2. Não diversificável.

A teoria de Markowitz mitiga ao máximo o risco diversificável, ou seja, aquela que o investidor tem poder em reduzir. São os riscos não sistemáticos.

Já o risco não diversificável é o sistemático, tais como:crises macroeconômicas, desastres naturais, crise financeira, alta da inflação, etc. 

Este último risco não tem como diversificar, é o risco base.

Lições aprendidas

  • O que é a análise fundamentalista.
  • Noção básica de valuation e teoria das carteiras.
  • Como funciona a diversificação.
  • Diferenças entre risco diversificável e não diversificável.