Análise técnica é uma técnica utilizada por traders e investidores com o objetivo de identificar as condições que indiquem se determinado ativo financeiro deve ser comprado ou vendido, e assim obter lucro nas operações na bolsa de valores. Além dos padrões gráficos, a análise técnica também faz uso de inúmeros indicadores técnicos para ajudar nestas operações.


O que é Análise Técnica?

A análise técnica é uma das técnicas de leitura de mercado mais utilizadas em todo mundo.

Derivada da análise gráfica, pode ser vista como uma “evolução” da mesma.

A análise técnica também faz uso das ferramentas de análise gráfica, entretanto, há a adição de indicadores técnicos (daí o “técnica” do nome da escola).

Há dezenas de indicadores técnicos no mercado, cada um com sua característica, mas, o que todos têm em comum é que tentam identificar melhores pontos de entradas e saídas de trades.

A metodologia da análise técnica (chamaremos de AT daqui em diante) consiste em tentar prever o movimento dos ativos analisados (ações, contratos futuros, forex, etc) com base no histórico de preços e volume negociados.

Para a escola de AT, o preço de um determinado ativo já reflete toda e qualquer informação referente à ele, ou seja, para esta escola o comportamento dos preços passados pode determinar o comportamento futuro.

Este comportamento futuro pode ser no curto, médio ou longo prazo, sendo útil tanto para o day trade quanto para swing trade ou buy and hold.

A AT identifica padrões e tendências na atividade dos negociantes do mercado e traça cenários mais prováveis de acontecer para o futuro.

Enquanto a análise fundamentalista se baseia em lucros, dividendos, múltiplos das empresas, macroeconomia e etc, a AT somente olha para o gráfico, sendo parte fundamental de toda análise.


A Teoria de Dow e a Análise Técnica

O Pai da Analise Tecnica

Charles H. Dow (1851~1902) foi o jornalista americano co-fundador da Dow Jones & Company com Edward Jones e Charles Bergstresser.

Ele também inventou o Dow Jones Industrial Average (DJIA) como parte de sua pesquisa sobre os movimentos do mercado.

Os Seis Princípios Básicos

A Teoria de Dow é baseada em seis princípios que formam o seu alicerce:

  1. O Mercado Precifica Tudo
    A teoria da Dow opera na Hipótese do Mercado Eficiente (HME), que afirma que esses preços incluem todas as informações disponíveis. Em outras palavras, essa abordagem é a antítese da economia comportamental. O lucro potencial, vantagem competitiva, competência em gestão e outros fatores já estão precificados no mercado, mesmo que nem todo participante conheça todos ou alguns destes. Assim, os preços das ações e índices incorporam rapidamente novas informações assim que estiverem disponíveis.
    .
  2. O Mercado Tem Três Principais Tendências
    1 – O “movimento principal” (movimento primário ou tendência primária) pode durar de menos de um ano a vários anos, podendo ser de alta ou baixa.
    2 – O “swing médio” (reação secundária ou reação intermediária) pode durar de dez dias a três meses e sofrer de 33% a 66% da variação do preço primário, sendo este desde o swing médio anterior ou início do movimento principal.
    3 – O “swing curto” (movimentos menores) varia de horas a um mês ou um pouco mais.Os três movimentos podem ser simultâneos: um swing curto dentro de um swing médio de baixa que está dentro de um movimento principal de alta.
    .
  3. As Tendências Têm Três Fases
    Uma tendência principal passará por três fases.
    1) Acumulação: num mercado de alta (Bull Market) a fase de acumulação começa quando os investidores mais bem informados (geralmente traders experientes e grandes instituições) formam suas posições. Os preços se movimentam de forma lenta e dentro de uma canal durante esta fase. Geralmente, ela acontece no final de uma tendência de baixa, onde os investidores comuns acreditam que é provável que haja mais uma queda, pois, a perspectiva geral é pessimista. Para o smart money, entretanto, é um bom ponto de entrada no mercado.
    2) Participação Pública e Excesso: quando o preço sai da fase de acumulação, uma nova tendência começa a se tornar visível, e então a fase de participação dos traders e investidores começa. Cada vez mais traders e investidores aderem à tendência, impulsionando os preços mais para o alto. Quanto mais a tendência durar, mais os investidores entrarão no mercado, gerando momentum.Excesso: a fase de participação do público é a mais longa das três fases do mercado e, no final, ela formará um excesso, onde a tendência se acelera ainda mais. Durante este período, a euforia e o otimismo irracional muitas vezes entram no mercado, levando a um comportamento do tipo bolha. É nesta fase que o smart money começa a se desfazer de suas posições, pois, esses mercados são frágeis e extremamente voláteis.
    3) Distribuição: esta é a origem e a fase inicial de um mercado de baixa (bear market), sendo o oposto da fase de acumulação. Quando os investidores informados se desfazem de suas posições durante a fase de excesso, eles agora entrarão em novas posições vendidos durante a fase de distribuição. Nesta fase, o mercado tende a estar sobre-comprado, embora os traders e investidores mal informados ainda acreditem que mais otimismo está a caminho.
    .
  4. As Médias do Mercado Devem Confirmar Umas às Outras
    Para que uma tendência seja estabelecida, os índices ou as médias do mercado devem confirmar uns aos outros. Isso significa que os sinais que ocorrem em um índice devem corresponder aos sinais dos outros. Se, por exemplo, Ibovespa está confirmando uma nova tendência de alta, mas, o IBR-X permanece em uma tendência de queda, os traders não devem presumir que uma nova tendência tenha começado.
    .
  5. O Volume Deve Confirmar a Tendência
    A Dow acreditava que o volume confirmava as tendências de preço. Quando os preços se movem com um volume baixo, pode haver muitas explicações diferentes. Quando os preços são acompanhados de alto volume, Dow acreditava que isso representava a visão de mercado verdadeira, pois, se muitos participantes estão ativos em um determinado ativo e o preço se move significativamente em uma direção, essa é a direção na qual o mercado antecipa o movimento contínuo.
    .
  6. Tendências Persistem Até Que Uma Clara Reversão Ocorra
    Para Dow, as tendências existiam apesar do ruído de mercado, onde eles podem se mover, temporariamente, na direção oposta à tendência, mas, logo retomarão o movimento anterior. A tendência deve receber o benefício da dúvida durante essas reversões. Determinar se uma reversão é o início de uma nova tendência ou um movimento temporário na tendência atual não é fácil e ferramentas de análise técnica tentam prever isto, embora elas possam ser interpretadas de diferentes formas por diferentes investidores.

Muitos analistas técnicos consideram a Teoria de Dow e seu estudo como a principal premissa da AT moderna.

Principais Indicadores

Médias Móveis

Talvez o mais popular instrumento usado na AT, as médias móveis são retas que “seguem” o preço.

Elas podem ser calculadas de várias maneiras, sendo as mais populares as Médias Móveis Simples (MMS) e Médias Móveis Exponenciais (MME).

A partir das médias de preços dos últimos ‘x’ períodos, onde ‘x’ é escolhido pelo trader, as médias são calculadas.

Média Móvel Simples

A MMS é uma média simples, que soma os preços dos últimos períodos e divide por ‘n’:

Media Movel Simples
Fórmula da média móvel simples.
MMS
Gráfico com média móvel simples.

No gráfico acima temos o índice futuro diário com duas médias móveis: uma calculada com os últimos 9 períodos (verde) e outra com os últimos 40 períodos (amarela).

Média Móvel Exponencial

A MME usa no seu cálculo uma ponderação onde dá maior participação aos últimos períodos analisados, sendo, assim, mais responsiva aos preços mais novos.

Media Movel Exponencial
MME
Gráfico com média móvel exponencial.

Comparando este gráfico com o anterior, notamos como a média móvel exponencial é mais responsiva, fazendo curvas mais sinuosas.

IFR – Índice de Força Relativa

Este indicador, também conhecido pelo acrônimo IFR, é um indicador de momentum.

O que ele faz é analisar o tamanho das mudanças recentes no preço para então dizer se o ativo está sobre-comprado ou sobre-vendido.

A escala vai de 0 a 100, onde, tradicionalmente, um valor de 30 ou menos indica uma condição de sobre-venda (geralmente, um sinal para compra) e um valor de 70 ou mais indica uma condição sobre-compra (geralmente, um sinal para venda).

Cálculo do IFR

IFR
Fórmula do IFR.

MG = Média simples dos preços de fechamento do ativo quando apresentou ganho.
MP = Média simples dos preços de fechamento do ativo quando apresentou perda.

MACD

Moving Average Convergence Divergence, ou “Convergência e Divergência de Médias Móveis”, este é mais um indicador de momentum.

A composição do MACD é a que segue:

  • Linha MACD: diferença entra a MME (média móvel exponencial) de 12 períodos (curto-prazo) e a MME de 26 períodos (longo-prazo).
  • Linha de Sinal: MME de 9 períodos.
  • Histograma: Linha MACD – Linha de Sinal.

Ps.: Se você chegou até aqui é porque está bem motivado, isto é um ótimo sinal!

Então, vamos para o próximo nível? Escolha agora o seu Curso Day Trader do Pro.

Rafael Iasi

Rafael Iasi

Rafael Iasi é o idealizador do Projeto Day Trader Pro. Atua no mercado como day trader independente desde 2013 e é um dos pioneiros na difusão das modernas técnicas de day trade no Brasil. Desde meados de 2015 vem colaborando, através de artigos, vídeos e cursos, na formação de milhares de outros day traders que acompanham o site, canal do youtube e mídias sociais da Day Trader Pro.

View all posts